Páginas

Observando a vizinhança

em 9 de fevereiro de 2020

Oieee gente tudo bem?

Esses dias enquanto esperava o portão da minha casa abrir,me peguei observando a vizinhança pela janela do carro,com um olhar crítico e até nostálgico,percebi o quanto o tempo passou e com ele tudo ao redor mudou.

Eu que cresci por aqui,onde a paisagem era outra,onde a maioria das casas nem eram muradas e as crianças podiam ser crianças.

Nos tempos de antigamente era normal brincar,correr se divertir pelas ruas,não posso dizer que não fosse possível sequestrar,matar ou esquartejar alguma criança naquela época,crimes hediondos assim sempre existiram,mas acredito que o ser humano mau por natureza era em menor escala o que possibilitava as crianças brincarem mais livremente,se sujarem e rirem com gosto.



Hoje devido a tecnologia e o alto índice de violência,as crianças estão mais reclusas interagindo mais virtualmente o que faz com que tenham menos contato com o mundo exterior deixando de aproveitar a verdadeira infância por assim dizer.



E os vizinhos?

Bem eram pessoas com algumas peculiaridade,uns normais que sentavam em suas portas para papearem ou vigiar as crianças enquanto brincavam, outros no entanto,eram diferentes por assim dizer como por exemplo a família "vamp" que só saia a noite para passear de carro pela rua,dando três voltas e já entravam e guardavam o carro(a pergunta era se saiam para passear ou para mostrar que tinham carro).

Teve o vovô tosse-tosse que era um senhorzinho bem velinho que se sentava na porta de sua casa sempre às 17:00 hs todo santo dia e por ser um lugar bem ventilado isso causava os acessos de tosse.

Os outros personagens memoráveis foram a vizinha que apanhava do marido porque tinha um amante e sempre que o marido viajava o amante ficava para substituir.

O garoto garanhão que pegava as adolescentes;o tio que era da moda com uma mini discoteca com os melhores "dance music";os tios dos cães assassinos de gatos; a enfermeira samaritana; os agricultores;a vizinha dos desaniversários(sim o filho fazia aniversário todo mês,incrível) o tio do bigode mexicano que morreu de overdose;os estelionatários procurados tanto pela polícia como por aqueles que passavam só para dar o aviso ora com ameaças verbais outra com azeitonas perfurando o muro da casa dos trambiqueiros.

Enfim essa era a minha vizinhança de antes,agora os tempos são outros,as pessoas são outras,os poucos que restaram por aqui hoje vivem doentes com a chegada da idade mais avançada e/ou reclusos em suas casas com muros altos,cercas elétricas.

Os atuais vizinhos se dividem nos novos proprietários ou apenas novos inquilinos e são aqueles que mais perturbam o juízo dos outros vizinhos com som nas alturas com um gosto de música que nem vou entrar em detalhes; ou fazem orgias e até cueca jogam para os quintais vizinhos;também não posso esquecer dos posseiros mal encarados que chegaram intimidando e até titi no poste de energia e na água colocaram(só espero que os filho da antiga dona consiga a reintegração de posse).

Então só posso dizer que sinto saudades daquela época,época boa onde a vizinhança era estranha mais era muito melhor do que a de hoje.

E vocês caros leitores como era a sua vizinhança antes e como ela é agora,conta aí nos comentários.

15 comentários:

  1. Ola Edilza tudo bem?
    Realmente tem hora que pensamos em nossa infância a alguns anos.Nesta época era tudo simples todos conheciam todos e nao tinha tanto dissabores quanto agora.
    Havia algunas carência em determinada situação e outras nem tanto.
    Otima reflexão.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. As carências de antes hoje,ficam no pé de chinelo em relação a falta de liberdade que perdemos devido ao aumento da violência.

      Excluir
  2. Olha, eu tenho 22 anos, então quando eu tinha idade de criança, como eu sempre fui privilegiada, eu já tinha internet e TV por assinatura, então eu fui uma criança reclusa em casa também, só tinha contato com uma ou duas pessoas da vizinhança e geralmente era só cumprimentos mesmo. Hoje em dia não moro mais na mesma cidade, mas mesmo depois que eu casei eu não tenho contato com as pessoas que moram perto daqui, acho que isso fica né?!
    Adorei tua reflexão!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Para você ver hoje minha filha passa por algo semelhante,a internet sua melhor companheira está sempre presente nas brincadeiras, de um lado temos as amiguinhas numa vídeo chamada de outro minha filha com suas bonecas e aí uma apresenta sua boneca e monta a história...não é a mesma emoção.

      Excluir
  3. Uma ótima reflexão. Penso a mesma coisa, hoje em dia tudo é recluso, muito perigo, pessoas querendo fazer o mal a qualquer custo. Lembro que brinquei muito na vizinhança do bairro que cresci era muito bom

    ResponderExcluir
  4. Parece que o ser humano esqueceu que é um ser racional dotado de sentimentos,mas infelizmente até um pisão sem querer no pé do outro pode acabar em tragédia.Hoje nossas crianças estão mais suscetíveis a ter problemas psicológicos devido ao isolamento forçado.

    ResponderExcluir
  5. éramos todos mais felizes à uns anos atrás, tínhamos o ar puro e havia tempo para brincar e nos divertirmos agora é tudo ao contraio estamos todos pegados ao telemóvel não largamos as tecnologias e possivelmente passamos messes sem ver os nossos vizinhos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Em sua maioria o celular se tornou uma extensão do corpo humano,ele às vezes é tão importante que até as relações familiares são afetadas imagina com os vizinhos não é mesmo.

      Excluir
  6. Olá Edilza, tudo bem?
    Realmente, lendo seu texto, eu parei para lembrar da vizinhança, e era algo totalmente diferente, mesmo os estranhos nos conhecíamos, hoje é difícil até saber quem está morando ao lado. E também penso, que parecia mais seguro, poder brincar na rua. Foi tão nostálgico ler esse post.
    Abraços

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Naquela época os vizinhos se entrosavam logo agora é até difícil perguntar as horas.

      Excluir
  7. Nossa quando eu era mais criança a vizinhança era muito diferente também, que texto incrível, amei a reflexão que ele trouxe

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que bom que gostou,sempre que puder nos faça uma visitinha.

      Excluir
  8. Adorei a reflexão, realmente quando olhamos para o passado percebemos o quanto as coisas eram diferentes e mais reciprocas.

    ResponderExcluir
  9. Verdade,gostaria muito que minha filha tivesse a mesma infância(no sentido liberdade)que eu tive.

    ResponderExcluir
  10. Oi Edilza! Achei mt boa a reflexão. De fato, sinto muita diferença de como era anos atrás e hoje. Depois que casei e me mudei, se conheço 3 vizinhos, é mt. Ninguém mais fica na rua, no portão, não existe aquelas festas de bairro. É bem triste, se a gente pensar. Os laços vão se desfazendo cada vez mais. Pena mesmo. Beijos
    https://almde50tons.wordpress.com/

    ResponderExcluir