28 de agosto de 2019

Namoro de crianças

Essa semana me deparei com uma situação no colégio da minha filha, o namoro de crianças,não o namoro propriamente dito como nós adultos conhecemos e sim namoro na visão das crianças.

Algo que para nós pais mais atentos é um assunto que consideramos avançado demais para a idade delas, pois ainda são imaturas demais para digerirem temas assim. Mas que ainda assim está na moda(ou nunca saiu dela) e elas falam sem maldades nas palavras por acharem que é certo.

Sabe-se que toda criança em algum momento de seu desenvolvimento começa a descobrir o próprio corpo e a descobrir novas sensações, novos sentimentos, isso  é algo natural no desenvolvimento do ser humano.

O termo namoro usado pelas crianças de hoje em dia parece muito distante do termo de tempos atrás onde não havia essa maldade do ser humano.

Namoro de crianças antigamente era o de segurar a mão do coleguinha,ou escrever um bilhetinho, dar um bombom,o lanchinho ou até defendê-lo de uma agressão,um abraço ou até mesmo um beijinho no rosto.

Confessem aí não era assim nas suas épocas? Ou vocês tinham tanta maldades em seus corações que pensavam outras coisas menos as que eu citei?


Foto: Pixabay/bessi

Quando trazemos essa expressão "namoro" para os dias atuais nos deparamos com um monstro horroroso onde cada parte de seu corpo é composto por risco de gravidez precoce", "estupro", "saliência" anormal, "falta de pudor" em público, ou seja, o que houve com o jeito inocente de falar que nós também usamos e vivenciamos a tempos atrás hein?

Agora nós nos transformamos em adultos de cérebros minúsculos e alienados desgastado pela nossa própria incompetência esquecendo que essa forma dos pequenos se apropriarem dessa expressão "namoro" quase sempre é culpa nossa.

Que os expomos a danças sensuais e eróticas de artistas que nada produzem ou nada acrescentam ao desenvolvimento do ser humano e/ou deixamos as crianças no celular e até diante da tv assistindo conteúdo impróprio porque não somos capazes de impor limites ou mesmo supervisioná-los; e em outros caso levamos as crianças para ambientes nada sadios(festas onde rola direto cerveja e os quebrados) ou nos comportamos de forma inapropriada na frente deles(dando aqueles beijos chupados na frente das crianças e ainda achamos isso a coisa mais normal do mundo).

Quantas vezes saímos nas ruas e nos deparamos com casais quase fazendo coisas que seriam mais indicadas entre quatro paredes e por conta disso ficamos envergonhamos por estarmos expostos a tais cenas.

E aí que justificativa se tem para culpar ou se enraivecer quando nossas crianças se lançam a usar indiscriminadamente o termo namoro?

A razão então escolhida muita das vezes pelos pequenos de estarem de "namoro", é por conta de não saberem definir a forma de expressar seu afeto pelo próximo e nem saberem que existe uma distinção no termo buscam no pouco vocabulário que conhecem e a batizam erroneamente.


O que custa a nós adultos explicarmos de uma maneira mais sábia que o namoro de adultos é diferente das crianças,ninguém precisa chegar falando todo os pingos nos iis para eles, basta apenas explicar-lhes que criança não namora,apenas tem amigos.

Amigos estes que elas querem ficar sempre juntas,mas que não sabem como pedir isso,pois como não moram na mesma casa que elas.

Não precisa proibir e nem repreender os pequenos por usarem algo que eles não entendem, porém podemos explicar-lhes que o termo correto é amizade.

E sempre que os pequenos voltarem a usar o termo namoro, lembre-lhes que o certo é amizade e reforcem o sentido dessa palavra,sempre e sempre de maneira amorosa e carinhosa assim eles não esquecem e não farão mais confusão.

Nenhum comentário:

Postar um comentário